Trilha dos Naufragados - Tudo é uma viagem

Post Top Ad

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Trilha dos Naufragados

Hoje foi dia de fazer a trilha dos Naufragados aqui em Floripa, e lá fomos nós com os pequenos em mais uma aventura.
Desta vez foi junto o tio Dé e a Orielle.
Saímos de casa aproximadamente 8h da manhã, parada básica pra criança fazer xixi com um visual de dar inveja, e sem trânsito rapidinho chegamos. Tem estacionamento com banheiro e ducha por 10 pila.

Praia da Caieira da Barra do Sul

Começamos a trilha por volta de umas 9:10 e já começa cansando! Uma morreba de deixar meio metro de língua pra fora!

Feliz, já começando a descer a morreba.

Mas a trilha é tranquila, MUITO, mas muito mesmo, mais fácil que a de Canela, do Ecoparque Sperrry.
A trilha é bem marcada, mas a mata está bem fechada, ainda bem né... afinal estamos dentro de um parque estadual.
Existem dois caminhos pra chegar até a praia: um que segue reto toda vida e outra que vai parando nos botecos ( Casa abandonada, Forte e Farol) lógico que escolhemos o caminho mais longo pra chegar até a praia de Naufragados.

Forte de Naufragados
Eduardo com cara de quem bateu a testa no canhão e não gostou. Henrique com cara de tô cansado, falta muito? Se o tio Dé ajudasse e não ficasse de zoeira teria aparecido o canhão.

Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba vista do mirante do Farol de Naufragados

Quase chegando! Para de bater foto e anda de uma vez... já vejo a água!
 Me desculpem, mas quem quiser ver a maravilha que é vai ter que fazer a trilha! Esqueci de bater foto por lá... a água limpinha demais, e salgada além da conta!
É um paraíso, mas não conta pra ninguém!
O mar tava tranquilo, mas volta e meia vinha uma onda que levava óculos de sol embora e ainda dava uns caldos.

Se eu faria de novo? Obvio! Mas preciso de mais resistência, acho que ainda não tinha me recuperado das trilhas de Canela.

Minha opinião de mãe: Eduardo com 6a 9m e Henrique com 5a 3m
Apesar de ser uma trilha tranquila, é cansativa por causa das morrebas, mas dá pra criança fazer.
Percebo a diferença de resistência e agilidade entre eles mais uma vez, apesar da diferença de idade ser pequena, ainda faz muita diferença para alguns passeios.
Crianças a partir de 7 anos fazem com tranquilidade. Não há muita dificuldade na trilha.
Menores exigem mais cuidados com pedras altas, galhos... enfim, cuidados básicos pra quem vai se enfiar com criança no meio do mato.
Se fosse de novo, o que eu mudaria: Iria pelo caminho mais curto e já sabendo que a volta deve ser por barco.

Leve repelente, filtro solar e pelo menos uma garrafa de água pra fazer a trilha.

Apesar da trilha ser fácil, a morreba cansa demais, e as crianças depois de brincar na praia não queriam encarar a trilha novamente, e sinceramente, nem eu com eles tão cansadas! Então voltamos de barco.
Preço: 20,00 por pessoa.

Testando se o apito funciona

No barco, já voltando

Lá tem restaurante, o que a gente foi não aceitava cartão.
Achei o preço bem razoável, assim como a comida.
Água, refri e cervejas são vendido por ambulantes na praia pelo mesmo preço, ou menos que vejo no centro da cidade.
Água 3,00 ou 2 por 5,00
Refri 4,00
Cerveja não lembro.

Como é janeiro, tinha pessoas alugando cadeiras e guarda-sol.
No inverno acredito não ter, mas também não sei o que o maluco vai fazer lá no inverno...

Avistamos 2 cobras no caminho.
Traga seu lixo de volta, ou descarte em lugar apropriado. Há lixeiras nos restaurantes.