São Pedro de Alcântara, Angelina e Águas Mornas - Tudo é uma viagem

Post Top Ad

domingo, 12 de março de 2017

São Pedro de Alcântara, Angelina e Águas Mornas

Domingo, 11 e pouco da manhã, já na terceira caneca de café e ele me pergunta: o que tem pra fazer hoje?
Nada, respondo já perguntando: o que tem?
Não sei... vamos ficar em casa?
Hmm... que tal ir pra Anitápolis ou outra cidade aqui perto almoçar?
Vamos pra São Pedro de Alcântara que é mais perto.
Saímos de Floripa já era 12:40.

Portal da entrada da cidade
Lá fomos nós pra São Pedro de Alcântara. Paramos direto pra almoçar, já passava das 13:30.
Não que tenha sido a escolhida, afinal só encontramos ela aberta: Churrascaria Kretzer.
Pensa num lugar gostoso, bom atendimento, comida saborosa e ainda com preço bem acessível.
Mas fiquem espertos que o atendimento é até às 14hs. Almoçar olhando aquele verde todo, dá uma tranquilidade... ahh como eu gosto de mato!

Vista da Churrascaria Kretzer
A churrascaria tem uns brinquedinhos, uma área kids pras crianças curtirem enquanto nós saboreamos aquela oferta de carnes em tranquilidade.
Infelizmente logo que saímos da churrascaria andamos uns 5 minutos e começou uma chuva muito forte, que nos impediu de parar nos poucos pontos turísticos que a cidade tem.


Sobre a cidade:
São Pedro de Alcântara fica muito próximo à Floripa, aproximadamente uns 35 km.
Foi fundada por imigrantes alemães e é a 1º colônia alemã do estado. Ainda conserva o mesmo clima rural, a tranquilidade de uma cidade do interior.

O município catarinense de São Pedro de Alcântara permaneceu por muitos anos subordinado ao município de São José, primeiro como freguesia, depois como distrito. Fundada em 1829, a montante do Rio Maruim por imigrantes germânicos oriundos em sua maioria das regiões do Hunsrück e Eifel, Sudoeste da Alemanha, São Pedro de Alcântara é a mais antiga colônia alemã do estado de Santa Catarina. Sua instalação ocorreu em 1º de março de 1829 às margens do Caminho das Tropas, denominado pelos alemães de “KAISERLICHERWEG” (CAMINHO IMPERIAL) datado de 1789, primeira ligação da cidade de Nossa Senhora do Desterro (hoje Florianópolis), com a Vila de Nossa Senhora dos Prazeres dos Campos das Lages ( hoje município de Lages, localizado no planalto serrano catarinense). Prefeitura Municipal de São Pedro de Alcântara 
Casa antiga da família Kretzer, construída em 1920.

Resolvemos não voltar por onde viemos, mas seguir por dentro, passando por Angelina, Águas Mornas, Santo Amaro e Floripa. É chão, é estrada que não acaba mais, ainda com tanta chuva numa estrada de chão nos fez andar um pouco mais devagar; o que não foi de todo ruim já que a paisagem é belíssima.

Henrique disse que era aqui que vivam os dinossauros. :D

Foram poucos lugares que conseguimos parar pra bater foto e curtir o passeio, a chuva tava intensa.
Um deles foi essa capela, Eduardo adora uma igreja, eu disse que tinha um cemitério do lado e claro, eles quiseram conhecer como era o cemitério.
"Tá bom, não que eu esteja com medo, mas já podemos ir pra casa?"
Claro, vamos nessa!
Capela Nossa Senhora de Fátima / Comunidade Rural de Barro Branco

Glaubenwege, o trajeto conhecido como caminho da fé, no trecho do município de São Pedro de Alcântara ao município de Angelina, possui uma extensão de 27 km.
Grande parte da caminhada se dá ao lado do Rio Maruim, em estrada de chão, com lindas paisagens em meio à mata atlântica.




Enfim, chegamos em Angelina. Depois de tantas curvas, subidas e descidas era bom mesmo dar uma parada, avistamos a praça da cidade.


Fiquei com pena das crianças que mais ficaram zanzando de carro do que curtindo a cidade, mas como criança feliz é criança que brinca e eu havia prometido que na cidade tinha parquinho e que eles iriam brincar... se chove, vai na chuva mesmo! Nada que uma troca de roupa não resolva depois...
Praça de Angelina
Exercitando

Achamos que a natureza já havia nos mostrado tudo... mas depois de uma curva aparece ela, deslumbrante!!! Ahh como eu amo!!







Mas essa não foi nossa última parada, teve um último pitstop numa pinguela. Já que os meninos tinham dito que não teriam medo de passar numa ponte grande de madeira, não pensei duas vezes quando vi a ponte lá na 282.
E lá foram eles, corajosos, destemidos enquanto a mamãe medrosa ficava do lado de cá roendo as unhas e rezando pra ponte não cair!

Última aventura do dia
Enfim, terminou. Foi um dia gostoso, mas a chuva atrapalhou bastante. Acho até que teremos que voltar outro dia pra conhecer o que ficou pra trás. Aliás, já vou deixar registrado aqui o que mais tem pra fazer na cidade, e se eu voltar mostro como foi.

Para visualizar o álbum de fotos desse passeio, clique aqui.

Para saber mais:
Guia da cidade

Caminhos da Fé

Rota da Cachaça
O roteiro visita vários engenhos de cachaça, onde se pode conhecer o processo de fabricação da bebida. Organizado pela Casa da Cultura, mediante agendamento. Segunda a sexta, 8h às 12h e 13h às 17h. Praça Leopoldo Francisco Kretzer, 2, Centro. Fone: (48) 3277-0151.

Engenho de Silvino Hillesheim - Engenho Colonial Irmãos Pitz - Engenho Colonial Zé Folia - Alambique Cachaça do Baron - Cachaça Manino - Alambique Dom Blas - Alambique Vandair Junckes - Cachaça Dom Gregório - Cachaça Maricota - Cachaça Capela dos Imigrantes


Celebrações Religiosas
Festa do Santuário Bom Jesus de Santa Cruz - Em agosto.

Festas Típicas

Festas do Colono e do Motorista - Na Igreja Matriz, em julho.
Oktobertanz - Evento tipicamente germânico. No final de setembro, em vários locais da cidade.
Festa do Recheio - Em outubro, na Igreja Matriz.