Cabo Polonio, um amor pra recordar - Tudo é uma viagem

Post Top Ad

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Cabo Polonio, um amor pra recordar

Cabo Polonio era um lugar que eu queria muito conhecer e ficar pelo menos uma noite por lá. Mostrar pros meninos a maravilha da luz de velas. Li alguns relatos que me deixaram apaixonada e acho que seria uma experiencia fantástica eles pernoitarem num lugar sem energia elétrica, onde quando o sol se põe nós somos guiados pelas estrelas, velas ou lanternas. Mas, os mesmos relatos me fizeram desistir já que em janeiro o lugar é um fervo!! Falam naquele clima hippie de drogas, música alta e muita festa. Nenhum problema se estivesse sem os meninos.



Mas pra passar o dia foi uma escolha maravilhosa!!
Chegamos de tarde lá e ficamos na dúvida se valeria a pena ir ainda, mas como não devo voltar tão cedo pra lá... claro que vale! 

Parquinho infantil perto da bilheteria

Cabo Polônio é um parque nacional e portanto uma área protegida por esse motivo não é permitido a entrada de carro ou moto.
Então deixamos nosso carro no estacionamento e seguimos até o guichê para comprar a entrada do Parque e o ticket do caminhão que faz o trajeto dali até a praia.

Então lá fomos nós no caminhão 4x4 sacolejando por uns 30 minutos já visualizando uma exuberante natureza.


Ahh, uma dica bem importante que eles não falam: guarde seu ticket do caminhão. Não é um canhoto que pode ser descartado, mas sim a volta. Vi algumas pessoas pagando novamente a volta por não terem guardado o papel. Existe a opção de ir e voltar caminhando pelas dunas, por isso eles exigem o ticket na volta.

A entrada por pessoa custa 230 pesos e crianças menores de 5 anos não pagam.
A diária do estacionamento custa 190 pesos para carros e 90 pesos para motos, mas a primeira hora é livre. Clique aqui para ver os horários e preços atualizados e aqui para ver o mapa de Cabo Polonio.

Dentro da área tem banheiros públicos que cobram alguns poucos pesos para usar, uma praça central e uma feira de artesanato onde tu encontra os mais variados tipos de cachimbos...



Trilha da Playa de la Cavalera até área de contemplação dos lobos

Não é permitido a entrada de barracas, de forma alguma você acampa por lá, ok? Mas tem  hostel,  lembre-se de reservar com antecedência pois o local é muito procurado. Tem algumas lojinhas de roupas e restaurantes. Não percebi nenhuma farmácia.



Viagem com crianças é sempre uma caixinha de band-aid e claro, logo que o Henrique entrou na água já deu com o joelho numa pedra cheia de marisco impossibilitando grandes caminhas pelas praias. Mas incrivelmente parou de doer quando falei em caminhar pra ir até os lobos marinhos (ohh!) lá perto do Farol.
Existe uma cerca de segurança (pra eles, claro) para que a gente não se aproxime muito. Mas dá pra ouvir o barulho deles de longe... e ainda que tenha a cerca fica muito perto.

Área de contemplação do descanso dos lobos marinhos

Mas em toda praia os lobos podem aparecer.
Dizem que o mirante tem uma vista fantástica e final de tarde fica bem cheio pra galera ver o por do sol, mas não deu pra subir pois exige idade mínima que não lembro se era 7 ou 8 anos.

Farol de Cabo Polonio
Dica valiosa: lembre de arrumar a mochila sem pressa, pra não esquecer do biquíni no carro (tansa!) já que tu só pode voltar pra pegar se pagar novamente o trajeto do 4x4. Ou vai de roupa mesmo... kkkkkk



Entre um canto e outro, uma praia e outra, um restaurante e um hostel se caminha livre, sem estradas. Só se tem um ponto de partida e outro de chegada.
Na volta os meninos ficaram com um pouco de frio no caminhão, nada que uma toalha não resolvesse. Mas lá o tempo muda bastante, horas tinha sol, horas nublava...

Mas sem dúvida, foi a melhor parte do litoral uruguaio!!
Água limpa, areia fina e branca, galera de boa... um paraíso ecológico.

Valores em pesos uruguaios.
Passeio realizado em janeiro de 2018.

Qualquer dúvida deixa aí nos comentários que a gente responde.

Acompanhe nosso Instagram.